Geração Perdida

(Por Verch)


Já se tornou deprimente ouvir os surfistas gaúchos reclamando da falta de apoio, patrocínio, incentivo, por falta de calendário das competições.


A pergunta que eu costumo me fazer, o que está acontecendo com o surfe gaúcho? Alguém ai sabe?


Parado, estagnado, sem perspectiva, essas seriam as melhores conotações para esse drama de quem escolheu investir no esporte, em uma carreira sem sucesso, jovens talentos ficam no passado, uma leva de promessas ficaram apagadas na espera de ter um incentivo, falo de talentos como Tiago Braga, Renan Borba, Iuri Silva, Robson Gobbato, Ipojucã Chaves, entre tantos outros que ainda sonham em ter uma oportunidade, mas será que isso ainda é possível, essa geração ficou esquecida pela falta de incentivo e patrocínio.


Sem dinheiro para se manter no esporte, muitos se obrigaram a buscar o sustento em outros meios profissionais, deixando de lado os treinos, a vontade de se dedicar a algo que não nos retribui renda e muito menos condições de sobreviver, em um mundo cada vez mais consumista e capitalista, os empresários sangue sugas enchem os bolsos com o esporte, mas de uma forma totalmente errada, sem retribuir a quem faz o surfe acontecer.


Não consigo entender como a FGS anda tão apagada, não move uma palha, ao menos não vemos nada acontecer, a não ser fiscalizar aonde tem redes de pesca no litoral, não que esse assunto não seja importante, mesmo assim de forma vergonhosa durante um dos últimos eventos que aconteceram em Torres, surgiu uma rede a deriva na área de competição.


Existem pessoas que doaram a vida pelo surfe e ainda doam, carregaram o surfe gaúcho mundo a fora, merecem assumir esse posto e trazer de volta o cenário do surfe ao nosso estado, os anos 80 e 90 foram marcados por grandes e bons eventos, hoje a informação, a mídia estão ao alcance de todos, porque não evoluímos?


Minha sincera opinião, surfistas como Rodrigo “Pedra” Dorneles, Jairo Lumertz e até mesmo Daison Pereira, merecem ocupar os cargos ocupados pela atual diretoria e fazer a coisa andar, não adianta o cara ter status, ser empresário, vir de família nobre, ter escritório aqui na Capital e não interagir de uma forma ativa, não assimilar a real necessidade dos surfistas.


Chega de marketing barato, vamos acordar, enquanto enchem os bolsos e vivem de uma forma confortável, o nosso surfe morre na praia, ou vamos esperar novos talentos como Luy Arman, Gustavo Borges, Nicolas Vedovatto, entre outros ficarem esquecidos, a nova geração esta ai,  precisamos agir  a tempo de mudar esse caos. 









14 comentários:

  1. Não adianta também ficar só choramingando como a maioria faz. Me diz uma coisa, quem quer ser ator nos Estados Unidos vai pra onde? Vai pra Hollywood atrás de uma chance, não fica na sua cidadezinha lá no interior esperando cair do céu e reclamando dos empresários apenas.
    Neguinho aqui no Brasil tem que ir pra SP ou pra fora, essa é a realidade. Em todos esportes é assim, tem que ir atrás, batalhar, sair do ninho. No futebol que é o esporte mais forte do país é assim, então pq a reclamação com o surf?
    O patrocínio poderia ser melhor?
    Sim, lógico, mas se não é vamos desistir e fazer como todo Torrense, ficar falando dos "empresários que tem grana e não investem" e daí depois ficar saindo pra balada, bebendo e torrando a pouca grana que tem, como alguns fazem?
    Outra coisa, tem muitos que mal sabem escrever, porra, neguinho não termina nem o segundo grau e quer cantar marra, discutir? Vai fazer o básico pela vida primeiro, pq o que vai ser o futuro de um brother assim se no surf não vingar?
    Pra mim o buraco é mais embaixo, merece mais discussão e não apenas reclamação.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Para mim começa pelo ponto onde para ser um surfista de nivel mundial no brasil é impossivel, pois nao existem ondas de nivel aqui. a segunda é que quem decide as coisas na empreza de surfwear é quase sempre um cara que nem surfar sabe e só esta ali pelo dinheiro e nao para ''patrocinar atletas'' e fazer o surf brasileiro crescer... assim como muitos caras que fazem as principais revistas de surf. Talentos não faltam. O problema é que existem um milhao de manés que vivem da imagem do surf porém nunca nem um tubo de verdade nem uma onda de verdade ja pegaram, mais se consideram surfistas, porém nao fazem nada pelo surf. O brasil também é foda ninguem ganha nada tudo é complicado, nao é choradera, eu moro fora do brasil, vendi tudo o que tinha ai para poder fazer isso e entendo o que é isso. O governo nao da beneficio nenhum para as marcas que patrocinam atletas como é em alguns países sem falar que muitas surfwears e marcas de surf vão a falencia pois nao ganham nada, e dai vao ter dinheiro como para patrocinar e poder dar uma boa infra para o atleta...?

    ResponderExcluir
  3. Concordo com Ritchie Kotzen. A questão não gira apenas em torno dos investimentos realizados no estado, o atleta tem que correr atrás também e buscar desbravar horizontes. Se na maioria das profissões é assim, no esporte profissional não haveria de ser diferente, ainda mais no nosso Rio Grande que não rola tanta onda. E outra coisa é a formação. Quem quer mais tem que investir nela, já se foi o tempo em que saber surfar era a única condição pra se dar bem, até por uma questão de segurança do atleta, caso não seja bem sucedido no surf ou sofra alguma lesão incapacitante que o impeça de continuar. Educação nunca é demais e o país só tem a melhorar com atletas que tenham um bom nível cultural.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Ritchie Kotzen sem tirar nem por uma virgula. Nao adianta nada reclamar e ficar sentado esperando acontecer no seu "mundo". Tem que ir a luta! Ir em busca pra que as coisas acontecam! E olha que sou irma de "surfista esquecido". O mundo nao gira em volta deles, eles eh que devem ir para o mundo, fazer acontecer! E jah passou o tempo que nao precisava de educacao para praticar esportes. Acorda galera! Soh se dah bem na vida quem vai atras! Ficar esperando que alguem venha te ver na tua cidade, isso nao vai acontecer. Eh dificil sair? Por que? Se estao trabalhando pra se sustentar morando na praia, porque nao podem ir mais longe fazendo a mesma coisa e batalhar pelo sucesso? Eh muito comodismo e falta de atitude, me desculpe.

    ResponderExcluir
  5. Meu, é muito simples. O surfe é feito de resultado, se não em campeonatos em atitude.
    Neguinho que fica na casca não aparece e para as marcas e lojas esse cara não da retorno!
    No RS o polo de venda das marcas não é em Torres, as marcas precisam de atletas conhecidos, para este gerar valor "retorno" para a marca ou loja. Então para aparecer e ser conhecido faça alguma coisa e será reconhecido, ai sim as marcas vão te pagar para estar no seu bico!!!
    Meu a galera nova está quebrando tudo, batidão muito aéreo e tem uns 30 mil neguinho que fazem isso com muito talento, mas não é o suficiente!
    CJ é campeão mundial e está sem patro e o Raoni monteiro tambem é top 45 no mundo e está bancando do próprio bolso todas as etapas do wct, dai neguinho fica em casa reclamando...não né galera!
    Temos bons exemplos de surfistas que colocaram objetivos na carreira e estão indo atras, temos um cara que vai longe que é o Pet de tramandaí pode não ser o melhor surfista do RS mas soube porcurar as marcas, não com a história de eu "quebro" e sim com um projeto legal mostrando como ele ia dar retorno para empresa.
    E ele está ai aparecendo em revista por ter pego a maior da série em mar que poucos iriam tirar a prancha da capa! Está se diferenciando dos outros e é isso que as marcas querem!
    Se não tem nada, não tem nada a perder!
    Vai fazer alguma coisa...nada cai do céu.

    ResponderExcluir
  6. Surfe no RS em nível profissional tende sempre a ser esta "merda". Existem muitos fatores que impedem um crescimento natural do esporte.
    Porém com amor, dedicação, educação, visão e perseverança eu acredito que este tão querido surfe, pode vir a quebrar as barreiras! Gente de visão é o que o surfe gaúcho precisa.

    ResponderExcluir
  7. Ser surfista no RS é o mesmo que ser jogador de futebol no Alaska,... essa gurizada tá chupando bala e reclamando demais. Ainda tem a sorte de ter acesso a vários shapers, marcas e mídias perto de casa. O surf ja foi melhor no estado, pois ja foi mais moda do que é hoje, e isso é geral. Se querem mais, têm que tirar o rabo da cadeira e parar de se achar estrela. Se ajudar e erguer o esporte e a cultura, em vez de ficar chamando de haole quem não mora na praia. A FGS taí pra quem se candidatar, mas duvido que os atletas citados queiram abraçar essa bronca, onde nego reclama e só fica pagando marra de pró.

    ResponderExcluir
  8. Só comentário de recalcado q foi corrido em Torres! O que cada um deles batalhou para ser bom profissional , ninguém sabe!! Porque quando se nasce em berço de ouro, êh muito fácil falar e criticar!!! Soul surfer And real surfer...

    ResponderExcluir
  9. Bom primeiro queria agradecer ao verch por lembrar de nós surfistas gaúchos...e aproveitar e deixar meu recado a respeito dos comentários acima e queria dizer o seguinte, fui surfista competidor durante alguns anos, sou Vagner Ayres local da praia de Torres onde passei anos da minha vida me dedicando totalmente ao surf e posso dizer com todas as palavras que falta muito investimento no surf gaúcho começando por grandes nomes do nosso estado que surfam com o bico sem algum logo,e se para ser um grande surfista tem que viajar sair da casca e tudo mais...eu pergunto! Como viajar, treinar, competir e aparecer no senário sem investimento? Depois que perdi meus principais patrocinadores passei dois anos atrás de novos e só encontrei apoiadores que com certeza não dariam o suporte suficiente pra um atleta que sonhava em viver do esporte. A e falo o seguinte, para ser um atleta e viver disso é preciso um treinamento, uma ocupação diária onde muitas vezes fica difícil conciliar com as nossas necessidades básicas...assim que comecei a ter que trabalhar para bancar meu SONHO ficou cada vez mais longe a realização dele.
    Fica ae minhas palavras e um grande abraço!!
    Fiquem com Deus.
    Vagner Ayres.

    ResponderExcluir
  10. O cara que fala isso no comentário:
    "Porque quando se nasce em berço de ouro, êh muito fácil falar e criticar!!! Soul surfer And real surfer..."
    É o típico mané q vai ficar na merda sempre!!
    Enquanto os "coitadinhos" ficarem com esse papinho de não ter nascido em berço de ouro, vão se ferrar sempre. Vão à luta e não fiquem se comparando aos outros, otário!! Ou tu sabe o q a pessoa ou a família dela fez pra ter a grana? Tu sim é um recalcado! A gente ta falando de surf, não se é rico ou pobre, zé mané.

    ResponderExcluir
  11. Viu só... O chapéu serviu!!! Concordo c meu brother vagner ayres. Esse sim, viveu e batalhou um espaço!!! E não ficou olhando de fora e criticando! Tb não comparei pessoas, Pq não há comparações entre surfistas de verdade e PREGOS!

    ResponderExcluir
  12. Pessoal li com muito cuidado cada linha que vocês citaram em seus comentários, a nossa página esta aberta a todas as opiniões, temos o direito de nos expressar e mostrar as nossas opiniões.

    Se essa força toda que atingiu algumas pessoas fosse direcionada ao bem do esporte no estado, sem criticar credo, cor, raça ou classe social, estaríamos em outro nível, precisamos dar um sacode e mudar isso!

    UNIÃO ao Surf Gaúcho, um homem só não move montanhas, mas muitos de nós em sintonia e união podemos mover muitas montanhas e mudar o cenário atual!

    Obrigado aos leitores pelos comentários!
    Abs
    VERCH

    ResponderExcluir
  13. Galera, vamo se respeita e curti o surf! É por isso que a galera não respeita mais dentro da água. Vamo se respeita e curti o que o surf nos proporciona.
    Abraço

    ResponderExcluir